topo_banner_diversidadeSlide thumbnail

Apoio à Diversidade

Segundo dicionário da língua portuguesa, diversidade significa pluralidade; reunião do que contém vários e distintos aspectos, características ou tipos. E é esta palavra que melhor define a existência humana na terra. Já imaginou se os quase 7 bilhões de habitantes do planeta fossem iguais? Já imaginou o que seria do dia se não fosse a noite? Ou o que seria do branco se não houvesse o colorido?

A existência de indivíduos diferentes em uma cidadezinha do interior, ou grande metrópole, com suas diferentes culturas, etnias e gerações fazem do mundo, uma peça inteira, que une todas as partes. Portanto, o reconhecimento e a valorização dos sujeitos da diversidade, a promoção da igualdade de gênero e do respeito à diversidade sexual são imprescindíveis para a desconstrução e desnaturalização do machismo e da homofobia na sociedade, e afirma o direito às diferentes possibilidades de expressão e vivência da sexualidade, orientações sexuais e identidades de gênero.

Mas, infelizmente, o respeito à diversidade passa longe da realidade que testemunhamos. Dados do Grupo Gay da Bahia mostram que o estado ocupa a segunda posição em número de mortes de LGBTs (gays, lésbicas, gays, bissexuais e transexuais). Segundo a Instituição, 2016 foi considerado o ano mais violento desde 1970. Foram assassinadas 343 pessoas em todo o Brasil, 32 delas na Bahia. Em 2017, até 22 de janeiro, já haviam sido documentados 23 assassinatos de LGBTs. O estado baiano só perde para São Paulo, que no ano passado contabilizou 49 homicídios.

O artigo 2º da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), aprovada na Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, diz que não deve haver, em nenhum momento, discriminação por raça, cor, gênero, idioma, nacionalidade, opinião ou qualquer outro motivo.

Desta forma, as vítimas de atitudes homofóbicas devem procurar ajuda e denunciar os casos. Qualquer pessoa agredida, física ou verbalmente, deve exigir seus direitos e registrar um boletim de ocorrência, além de buscar a ajuda de possíveis testemunhas do ocorrido.

Quem não quiser ou não tiver acesso à uma delegacia, pode  fazer a denúncia por telefone. O Disque Direitos Humanos – Disque 100 é um serviço de atendimento telefônico gratuito, que funciona 24 horas por dia, nos 7 dias da semana, em todo território nacional. O serviço telefônico recebe denúncias anônimas relativas às violações de direitos humanos, em especial as que atingem populações vulneráveis, como a comunidade LGBT, mas também crianças e adolescentes, idosos, pessoas portadoras de deficiência e moradores de rua.

Serviços:

Disque 100
Horário de funcionamento: 24horas por dia/ 7 dias por semana

Centro de referência LGBT Municipal de Salvador
Telefone: (71) 3202 -2750 / 3202-2758

E-mail: crm-lgbt@salvador.ba.gov.br
Endereço: Avenida Oceânica, 3.731, Rio Vermelho – Salvador, Bahia, Brasil.
Horário de funcionamento: seg. à sex. 8h às 17h

Grupo Gay da Bahia
Telefone/fax: 55 (71)  3322 2552
E-mail: ggb@ggb.org.br / ggbbahia@gmail.com
www.grupogaydabahia.com.br

Endereço: Rua Frei Vicente, 24 – Pelourinho Cep: 40.010.025 – Salvador, Bahia, Brasil