topo_banner_3Slide thumbnail

Bacelar cobra atenção do governo da Bahia para Ensino Profissionalizante

Compartilhe com amigos

O deputado estadual João Carlos Bacelar (PTN) cobrou hoje atenção do governo da Bahia com o ensino profissionalizante pois existem denúncias partindo de várias partes da Bahia que o Estado está com o pagamento dos salários de professores, terceirizados e PST (prestação de serviço temporário) atrasado em algumas unidades por mais de cinco meses. Além disso, há falta de merenda e transporte escolares, material de consumo e limpeza, atraso no pagamento de contas de água e luz, entre outros.

“A propaganda do governo anuncia que o CETEPs (Centros Territoriais de Educação Profissional), responsável pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec) vai muito bem, mas a realidade é diferente. Professores e alunos, desde o ano passado, fazem manifestações em diversas partes do estado reivindicando pagamento de salário dos professores, terceirizados e dos PSTs, além de pagamento de água, luz, merenda escolar e transporte. Ontem, teve manifestação de alunos em Ipiaú que pediam regularização de salários dos professores e demais trabalhadores, e demais pagamento para que as aulas pudessem prosseguir normalmente. Fecharam a BR-330, trecho que liga Ipiaú e Barra do Rocha e, somente depois da denúncia é que o governo se comprometeu em pagar os atrasados”, denunciou Bacelar.

O deputado disse não entender porque a crise no ensino profissionalizante uma vez que o governo federal repassa ao estado milhões todos os anos para o Pronatec. “O governo federal enviou à Bahia quase R$16 milhões para o Pronatec em 2013 e este ano o valor foi um pouco maior. Não se justifica, portanto o atraso nos salários, de professores, terceirizados e PSTs, até contas de água e luz. Desde o ano passado, ocorrem manifestações por conta de salários atrasados. Salvador, Camaçari, Santo Antônio de Jesus, Irecê, são algumas das cidades afetadas. O pagamento é escalonado. Quando o governo regulariza o pagamento de uma cidade, outra reclama do atraso. É assim que este governo trata a Educação do filho do trabalhador e do próprio trabalhador, já que esses cursos profissionalizantes também qualificam adultos”, lamentou Bacelar.

Compartilhe com amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *