topo_banner_3Slide thumbnail

Educação Física x sedentarismo estudantil

Compartilhe com amigos

Os computadores dominam o mundo, a mente, o corpo. Uma verdade quase perfeita. Mas que temos obrigação de contestar com atitudes. A começar, em casa mesmo. Os filhos se encantam pela máquina e preferem desfrutar de uma infância e adolescência que nem de longe lembram a dos pais. A geração saúde dos anos 80 foi substituída por outras inclinadas ao sedentarismo graças principalmente aos vídeos games e jogos eletrônicos. Essa realidade tem influenciado a estatística divulgada recentemente pela Organização Mundial de Saúde, segundo a qual, uma em cada três crianças está acima do peso no Brasil.

Crianças com sobrepeso, mais tarde, podem se transformar em adultos obesos com propensão a desenvolver diabetes e problemas cardiovasculares. Sem contar que a alimentação de meninos e meninas inclui muito sódio, gordura e açúcar. Os especialistas em saúde infantil alertam os pais para que fiquem atentos às escolas que não proporcionam atividades esportivas para os alunos. É indispensável que o condicionamento físico se desenvolva assim como o intelecto mas para isso tem que haver estímulos.

Algumas escolas particulares oferecem diversas modalidades esportivas no currículo. Um leque com opções variadas para atrair um maior número de interessados. O professor de educação física é o profissional que vai orientar e estimular essa prática e aos poucos os alunos vão substituindo algumas horas semanais de interação com computadores e celulares por exercícios físicos e recreativos ao ar livre ou em um ginásio, espaço adequado às disputas esportivas.

Na Secretaria Municipal de Educação foi implantado o Programa de Educação Esportiva com práticas e projetos que incluem oficinas de ação itinerante com o objetivo de construir a cidadania, a ludicidade, e a socialização através da ocupação saudável do tempo livre com integração e inclusão de alunos e alunas utilizando fundamentos das modalidades esportivas coletivas: handebol, baquete, vôlei e futsal. Também foram projetadas a construção e inauguração de um ginásio, o Nelson Cazumbá, que funciona atendendo a três escolas do subúrbio de Salvador.

A ideia foi ampliada para a realização de jogos estudantis, torneios, festivais e campeonatos de modalidades como xadrez e tênis de mesa, envolvendo também alunos do curso noturno e da ilhas pertencentes ao município. Cuidar do corpo e da mente deve fazer parte de qualquer gestão que trate com responsabilidade a educação para fazê-la de qualidade para todos.

Compartilhe com amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *