topo_banner_3Slide thumbnail

Faltou vibração…

Compartilhe com amigos

O Brasil protagonizou o segundo 0 x 0 na Copa do Mundo, nesta terça-feira (17) contra o México, em Fortaleza. Diante de mais de 60 mil pagantes, a seleção brasileira apresentou um futebol sofrível, sem vibração, sem criatividade, sem ataque padronizado, sem contraataque convincente que pudesse superar a indiscutível performance do goleiro mexicano Ochoa.

A torcida brasileira que compareceu à Arena Castelão até ensaiou empurrar a seleção canarinho. Quando terminou a execução do hino nacional, o torcedor continuou cantando com os atletas até a última letra. Mas, foi só. Parou por aí. Será que é o reflexo da situação que os brasileiros enfrentam no dia a dia??

Antes de a bola rolar, mais protestos pelo país. Em Copacabana, no Rio de Janeiro, cartazes e palavras de ordem contra os gastos com a Copa. Em Fortaleza, houve confronto entre a polícia e os manifestantes. Resultado: 30 presos. Já em Belo Horizonte, um protesto inusitado. Mulheres ficaram de sutiã em praça pública, em repúdio à FIFA e ao governo brasileiro.

Milhares de paulistanos deixaram de assistir à partida presos no trânsito em situação mais tensa e frustrante que o duelo em campo. Até o Rei Pelé assistiu ao primeiro tempo dentro do carro. Isso pode no país do futebol???

Quando rolou a bola, o que se viu nas arquibancadas e por todo país, foi uma torcida preocupada. O time de Felipão, assim como na estreia, voltou a repetir os mesmos erros. A empolgação foi zero.

Aqui em Salvador os torcedores sofreram antes, durante e depois do jogo. Congestionamentos em diversos pontos da cidade dificultaram a vida dos baianos. Quem saiu do trabalho mais cedo para assistir a seleção passou humilhação. Transporte público deficitário e muito tumulto para pegar um ônibus.

E a dona FIFA?? O Fan Fest da Barra, evento oficial da entidade, deixou a desejar mais uma vez. O local que reúne milhares de pessoas para assistir a transmissão dos jogos da seleção estava mal sinalizado, o que acabou gerando confusão na saída.

Atuação apática, arestas a serem aparadas e muita desconfiança no campo e nas ruas. A cada dia que passa mais sinais de desorganização, realmente não tínhamos, nem temos estrutura para sediar uma Copa do Mundo. Muita coisa ainda está por vir. A final do mundial é dia 13 de julho, no Maracanã, mas parece que seria melhor terminar bem antes.

Compartilhe com amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *