topo_banner_3Slide thumbnail

Ligado no rebote

Compartilhe com amigos
Por Bacelar, para o Amor de Aço
Depois da amarga goleada fora de casa, eis que surgiu a chance para o tricolor sair de alma lavada. Três gols contra o Vasco e domínio de bola na maior parte do tempo significa que o time está  sabendo ocupar melhor os espaços. Taticamente começa a se destacar, em atenção ao cada vez mais firme treinador Preto Casagrande. Melhor para o Bahia, para a torcida e para a diretoria que não precisa procurar longe outro comandante para o time.

O Bahia soube envolver o Vasco e liquidou a fatura na largada do segundo tempo com uma tarde inspiradíssima de Mendoza. Dono de velocidade ímpar e com boas arrancadas pela ponta, o colombiano carimbou a rede duas vezes ontem. O segundo foi um gol relâmpago, logo no primeiro minuto da segunda etapa. Está podendo, o cara! Completou quatro gols em três rodadas. Uma tarde alegre, de sol em Salvador, com direito a “Mendozation”, a dancinha do atacante já repetida pela torcida. Ao sair da Fonte, encontramos vários grupos executando a coreografia cadenciada do camisa 14 tricolor. Felicidade geral da nação tem dança e tudo…!

Na arquibancada, ecoou o grito de “olé”.  Valeu, Bahia! Os 22 mil torcedores que assistiram à partida voltaram para casa com boas perspectivas, afinal o time subiu na tabela e ocupa agora a 12ª posição, com possibilidades reais de na próxima rodada chegar ao G-6.
Próximo domingo enfrentaremos outro alvinegro carioca aqui na Fonte. Até lá, uma semana inteira de bandeja para Preto corrigir os erros, treinar as ensaiadas e lembrar que atacante de ofício ou atleta desejoso de gols tem que ser chato, oportunista, beirar a pequena área, de olho no rebote, sempre atento aos escorregões da defesa adversária, como faz bem o Mendoza.
O tempo que será utilizado para preparar melhor a equipe pode ser utilizado a favor da administração da Arena. Os jogadores estão clamando pelo corte do gramado, já há dias. Colabora aê, o cuidado na manutenção do campo pode ser aliado – ou não – de uma equipe.
Por isso, estamos de olho para cobrar uma melhoria justa que pode fazer toda a diferença em uma partida. Porque, sem dúvida, o palco é uma das peças fundamentais para a organização de um show. E, aqui pra nós, contra o Botafogo, meu chapa, o show será nosso. De novo! Bora Bahêa!
Compartilhe com amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *