Em encontro com a juventude soteropolitana, realizado na tarde desta sexta-feira (6), o candidato a prefeitura de Salvador pelo Podemos, Bacelar, criticou a atual gestão ao afirmar que não há, em Salvador, políticas públicas de proteção e valorização de jovens, crianças e adolescentes da periferia. Segundo ele, a discriminação do paredão e a ação truculenta da polícia confirmam a afirmativa. “É a cultura de quem vive nos bairros periféricos, mas a forma com que a prefeitura age é com preconceito e discriminação. Vamos mudar essa realidade”, afirmou.

O podenista ressaltou que as propostas de seu plano de governo foram desenvolvidas e pensadas para os mais de 300 mil jovens da capital baiana que não estudam e trabalham. Para ele, é preciso implementar ações educacionais, culturais, de valorização, capacitação desta grande parcela da população. “O centro do nosso programa é a criação de mecanismos de participação ativa e democrática da juventude soteropolitana que permitia que eles possam decidir sobre a agenda política da cidade e os orçamentos públicos para o desenvolvimento territorial, através de processos de participação da comunidade, bairros e favelas” destacou.

Entre as ações de destaque está a criação de um Plano Municipal da Juventude, o fortalecimento do Conselho da Juventude, a realização de conferências municipais e a implantação do projeto Primeiro Emprego, Colé Mano?. A intenção é combater o desemprego dos jovens e inclusão de egressos, estudantes e trabalhadores informais no mercado de trabalho.

Também voltado para população de 15 a 29 anos, o prefeiturável apresentou os programas A Praça é Nossa e o Inclusão Digital, que têm como objetivo a criação de praças esportivas e culturais, com equipamentos de ginástica, palco, quiosques de informática e WiFi gratuito.

“Salvador precisa de uma pesquisa periódica junto aos jovens que permitam diagnosticar, planejar, monitorar e avaliar ações voltadas para esta parcela da população. E é isso que vou fazer” pontuou.
Mais cedo, ao lado do vice, Magno Lavigne, o prefeiturável assinou um termo de compromisso elaborado pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, batizado de “Carta de Amor”. O documento reúne os pleitos da juventude e estabelece o prazo de seis meses para implementação de ações e políticas públicas voltadas para juventude soteropolitana. “Reafirmamos nosso comprometimento com estes jovens que são essenciais para o desenvolvimento de Salvador”, completou Lavigne.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta