Foram sete jogos sem perder. O número é cabalístico e revela que o resultado de Inter 3 x 1 Bahia, por enquanto, faz parte da movimentação tradicional do futebol. Deve ser para dar mais emoção, diriam alguns. Porisso esse esporte provoca tanto impacto, porisso arrebata milhões de torcedores mundo afora. Porque não tem lógica, sempre é uma ‘caixinha de surpresa’.

Mas, o Bahia, lá no Beira Rio, encarou o Internacional de frente, sem medo. Criou chances reais de gol, cometeu muitas falhas também, tanto na zaga quanto na frente. Depois de tomar dois gols no primeiro tempo, melhorou a ofensividade, imprimiu rapidez às jogadas mas não conseguiu se recompor com a eficiência dos jogos anteriores para evitar o contra-ataque colorado.

O Inter peitou e não deixou o tricolor se espalhar. Pra não voltarmos sem marcar nenhum gol, Kléberson conseguiu estufar a rede no finalzinho da partida, já fora do tempo regulamentar.

Foi a primeira derrota no returno. O primeiro tropeço do Esquadrão sob o comando do técnico Jorginho. Talvez apenas um freio de arrumação para que sejamos mais atentos, mais conscientes. Vamos continuar trabalhando duro, aparando as arestas dentro de campo, evitando dispersar energia em situações que, de cara são desfavoráveis, centrar no objetivo comum que é aumentar o distanciamento da Zona e partir pro abraço.

Domingo, contra o Botafogo, a ordem é vencer para subirmos na tabela. Quem é Bahêa, vai sair do sofá e assumir o compromisso em Pituaço pra empurrar o time em busca de um belo resultado. O Esporte Clube Bahia precisa ser reconduzido às primeiras posições do futebol brasileiro.

A torcida sabe disso, os atletas concordam e a diretoria… ah, deve sim, ter essa certeza.
Axé, Bahêêêêêa!!

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta