“Prestes a completar dois anos de implantação, o Plano Nacional de Educação (PNE) está longe de ser cumprido e a única forma de resolver esse problema é com a aprovação da Lei de Responsabilidade Educacional”. A afirmação feita pelo deputado federal Bacelar (PTN-BA), na última segunda-feira (20), no plenário da Câmara, chamou a atenção para o cenário caótico no ensino brasileiro.

Para o parlamentar, oito metas e estratégias do PNE, cujo prazo vence neste ano, não deverão ser cumpridas pelo governo brasileiro. “Não vamos conseguir cumprir a universalização da pré-escola e a universalização do atendimento escolar para a população de 15 a 17 anos, por exemplo. O futuro de milhares de crianças e adolescentes já está prejudicado com esse atraso. É inadmissível que o Plano Nacional de Educação não seja cumprido por falta de uma legislação mais rígida”, cobrou.

O petenista, que é relator da Lei de Responsabilidade Educacional, lembrou que o seu parecer está pronto para ser votado desde o ano passado, mas por causa de manobras do governo ainda não foi colocado em pauta. “O Ministério da Educação não cumpre as leis aprovadas nesta Casa. É necessário que os gestores públicos sejam rigorosos com os recursos da educação e, sem um instrumento para esse controle, será impossível fiscalizar e cobrar educação de qualidade. A nova lei será uma ferramenta fundamental na construção de diretrizes educacionais para não permitir um retrocesso nos indicadores”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu