Foto CPI

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a violência contra jovens negros ouviu nesta quinta-feira (9), em Brasília, o sociólogo Júlio Jacobo Waiselfisz, responsável pelo estudo “Mapa da Violência 2014: Os jovens do Brasil”.

O deputado federal Bacelar (PTN-BA) elogiou o trabalho do sociólogo, que elaborou uma pesquisa apontando os homicídios como a principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, no Brasil, que atingem mais jovens negros do sexo masculino, moradores das periferias. Pelo levantamento, em 2012, dos quase 54 mil mortos por homicídio, 53% eram jovens, destes,  77%  negros e  93% homens. O estudo mostra que, de 2002 a 2012, o número de homicídios de jovens brancos caiu 32 %, enquanto o de jovens negros aumentou no mesmo percentual.

Para Bacelar, é preciso incluir na agenda da CPI um levantamento também sobre as mortes de mulheres negras. “A obra de Júlio Jacobo tem dado uma colaboração importante no combate à violência no Brasil. Tenho certeza que esses dados irão ampliar nosso campo de visão. Porém, acho que falta levantar o número de assassinatos de mulheres jovens negras, que também tem crescido assustadoramente. Primeiro, matam os homens; em seguida, as companheiras. A comissão precisa avaliar e buscar mais informações sobre esses casos para por fim à violência contra mulher”, propôs.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta