A pedido do 1º vice-presidente da Comissão Especial de Enfrentamento ao Homicídio de Jovens, deputado federal Bacelar (PTN-BA), o colegiado ouviu representantes dos movimentos da juventude do PTN, PT, PPS e PSB, na terça-feira (15), em Brasília.” O Brasil ocupa o 3º lugar em relação a 85 países, no ranking de mortes de adolescentes, entre 15 a 29 anos, perdendo apenas para México e El Salvador. São 55 mortes em cada grupo de 100 mil jovens. Negros têm três vezes mais chances de serem assassinados do que brancos. A situação é ainda pior no Nordeste. Na Bahia, as regiões mais perigosas são Lauro de Freitas, Porto Seguro e Simões Filho. Precisamos agir para mudar esse quadro”,  alertou Bacelar.

O presidente do PTN Jovem da Bahia, Eric Pereira, disse que a juventude é a maior vítima da violência e não a causa da insegurança no país. “A cada seis minutos uma pessoa é assassinada no país e menos de 10% desses homicídios são cometidos por jovens. O que o Brasil precisa entender é que a juventude está cada dia mais vulnerável. Não será a redução da maioridade penal, a solução para o enfrentamento da criminalidade. Os dados mostram que somos vítimas. Po isso, é tão importante o diálogo com a sociedade civil e as esferas de governo”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu