No dia da Consciência Negra, lembrado nesta sexta-feira (20) em todo Brasil, o deputado federal Bacelar (Podemos/BA) criticou a falta de políticas públicas de inclusão racial, oportunidades de estudo, emprego, renda e de combate ao genocídio da juventude negra soteropolitana. “Salvador é a cidade mais negra fora da África e ainda sim o povo sofre com a falta de oportunidades, de políticas de inclusão, de ter a atenção voltada para eles. Precisamos mudar essa realidade” disparou.

Na avaliação do parlamentar, o primeiro passo para combater o racismo e a violência é investir na educação antirracista, que fale sobre a história afro-brasileira e da importância da população negra para o acúmulo de desenvolvimento e riquezas no Brasil e no cenário cultural. “Isso eleva a autoestima do estudante negro e ensina aos demais sobre consciência e os impactos do racismo” afirmou.

O parlamentar baiano repudiou ainda o caso de agressão em um supermercado de Porto Alegre, onde um homem negro foi espancado até a morte por outros dois brancos. O crime aconteceu na noite da última quinta-feira (19).Dados divulgados pelo Atlas da Violência 2020 indicam que os assassinatos de negros aumentaram 11,5% em dez anos, enquanto os de não negros caíram 12,9% no mesmo período. Entre os negros, a taxa de homicídios no Brasil saltou de 34 para 37,8 por 100 mil habitantes entre 2008 e 2018.

Na avaliação de Bacelar, o Brasil só será melhor quando a educação pública for de qualidade, equitativa e com foco na redução das desigualdades sociais. “É uma pandemia. Em pleno século XXI pessoas ainda morrem por causa da cor de pele. Até quando veremos notícias como estas? A educação é a base de tudo e temos que continuar falando sobre isso” finalizou.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta