Barcelar 13 de maio

Nesta quarta-feira, 13, data da Abolição da Escravatura, o deputado federal Bacelar (PTN-BA) fez um pronunciamento na Câmara traçando um paralelo entre os 127 anos da Lei Áurea e o surgimento do movimento “Reaja ou Será Morto – Reaja ou Será Morta”, criado há dez anos no Subúrbio de Salvador. O movimento surgiu da luta de comunidades afrodescendentes contra a violência policial e pela reparação aos familiares de vítimas de execuções sumárias e extrajudiciais. Bacelar ressaltou o papel de mobilização do povo negro em busca do reconhecimento de direitos essenciais. ” A abolição não foi uma dádiva. Foi uma conquista da luta que começou com a resistência dos negros na África, passou pelos quilombos e revoluções, como a Revolta dos Malês e a Conjuração Baiana, até chegar à Lei Áurea, que é a expressão legislativa dessa luta. Infelizmente, a escravidão ganhou novas formas no Brasil, que encontra resistência em movimentos como o ‘Reaja ou Será Morto – Reaja ou Será Morta’, de combate ao genocídio da raça negra. No ano passado, foram 55 mil homicídios; 41 mil de negros. No mesmo período, dos 30 mil jovens assassinados, 70% eram negros. Precisamos reagir a essa barbárie”, conclamou.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta