Após uma terça-feira (8) conturbada na Câmara, o líder do PTN, deputado federal Bacelar, apresentou uma questão de ordem, nesta quarta-feira (9), contra a decisão do presidente Eduardo Cunha (PMDB) no processo de votação secreta para a escolha dos membros da Comissão Especial do Impeachment. Bacelar defendeu que o regimento interno da Casa não garante o voto secreto nesse caso. “ Como ontem fui impedido de me manifestar pelo presidente, trago hoje esse esclarecimento sobre o regimento interno, que não deixa explícito que a eleição dos membros da Comissão do Impeachment deva ser secreta. A autorização para instauração do processo seria aberta. Se o próprio regimento prevê que a votação principal não pode ser secreta, entendo que tampouco as deliberações acessórias poderiam seguir esse rito. Este é um momento delicado para o país, sendo fundamental que todos os ritos do impeachment sigam a legalidade. Por isso, foi importante o Supremo se manifestar sobre a obrigatoriedade das votações serem abertas, salvo os casos previstos na Constituição”, declarou.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta