O deputado Bacelar (BA), líder do PV na Câmara, publicou uma nota oficial, em nome da bancada, lamentando a morte da menina indígena, de 12 anos, de origem Yanomami. No dia 25 de abril, ela foi estuprada, covardemente, por garimpeiros que atacaram a comunidade indígena Aracaçá na região de Waikás, na Terra Yanomami, em Roraima.  O local apresentou o maior índice de contaminação por mercúrio no diagnóstico realizado pela Fiocruz em 2014/15 em parceria com o Instituto Socioambiental (ISA). Mais de 92% do total das amostras foram positivas para a presença da substância. “Os garimpeiros exploram ilegalmente os rios e provocam danos sociais e ambientais irreversíveis, promovendo à morte” afirmou.  

Na avaliação de Bacelar, a falta de compromisso do atual Governo em termos de política indigenista resulta no enfraquecimento da fiscalização ambiental; na edição de inúmeras normas infralegais e proposições voltadas para facilitar a exploração de seus recursos ambientais, por não índios e a criação de dificuldades para o reconhecimento legal de suas áreas. 

A nota diz que “Bancada Verde se solidariza com os familiares da pequena indígena e expressa todo o seu repúdio contra a exploração ambiental e sexual presente em terras indígenas. Redobramos o nosso compromisso de continuar a lutar por um Brasil socialmente mais justo, pelas comunidades indígenas e pelos povos tradicionais, por um meio ambiente equilibrado e pela responsabilização das pessoas que cometem crimes repugnantes como o presente. Estaremos vigilantes e atuando no sentindo de que os responsáveis sejam, exemplarmente, punidos!” concluiu.  

Assinam a nota os deputados Aliel Machado (PR), Júlio Delgado (MG) e Sérgio Toledo (AL).  

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta