casas_do_governoA grave crise financeira que o governo da Bahia atravessa e já vem fazendo diversas vítimas, como terceirizados, prestadores de serviços e fornecedores que estão deixando de receber os pagamentos em dia, faz agora mais uma vítima: o servidor efetivo do Estado que deseja adquirir a casa própria através do programa Prohabita. Gerido pela Secretaria Estadual de Administração (SAEB) e executado pela Conder em parceria com a Caixa Econômica Federal (CEF), que financia os imóveis com recursos provenientes do Programa de Arrendamento Residencial (PAR) e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), o programa foi suspenso para novas habilitações, ou seja, novos interessados em adquirir a casa própria, por “problemas orçamentários do Estado”.

A situação é tão grave que a Conder sequer está participando, em décadas, do Feirão da Casa Própria realizado pela CEF esta semana e os novos proponentes sequer foram avisados. “Estamos chegando para o Feirão da Casa Própria e soube agora que a Conder suspendeu o financiamento para o servidor público. Foi um susto e uma vergonha porque achei que dessa vez ia dar”, afirmou um policial militar que foi com a família ao Feirão da Caixa adquirir a casa própria e voltou sem conseguir nada.

O caso chegou ao conhecimento do deputado estadual João Carlos Bacelar (PTN) que já pediu informações oficiais à Conder e a Saeb sobre a situação. “É um absurdo o que estamos vendo no Estado. O governo teve dinheiro para bancar a nova Arena Fonte Nova, mas está, agora, deixando o servidor sem a casa própria. Depois dizem que está tudo bem. A Saeb precisa explicar porque suspendeu o financiamento e dar uma satisfação à sociedade”, exigiu Bacelar.

De acordo com a Prohabita, as novas habilitações estão suspensas por tempo indeterminado até o Estado encontrar uma solução para os “problemas orçamentários do Estado”. “Não é à toa que o Estado está precisando urgentemente de empréstimos como a antecipação dos royalties do petróleo e os US$400 milhões do Banco Mundial. O governo do PT acabou com o equilíbrio fiscal e faliu a Bahia. Com estamos no último ano de governo e se aproxima as eleições, o governo petista precisa, pelo menos deixar as contas equilibradas para poder entregar o governo. Mas a que preço? Afundando e comprometendo ainda as receitas do Estado? Essa situação não pode continuar. Precisamos dar um basta a esse governo perdulário do PT”, concluiu Bacelar.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta