Covid-19: movimento defende prioridade na vacinação de profissionais da educação

O deputado Bacelar (Podemos/BA) lançou, na noite desta segunda-feira (19), na Bahia, o movimento “Profissionais da Educação – vacina já”. Formada por parlamentares de vários estados e lideranças da educação brasileira, a campanha tem como objetivo chamar a atenção para a importância da priorização desses profissionais na vacinação contra a Covid-19. O encontro virtual aconteceu nas redes sociais do parlamentar baiano (deputadobacelar).

O plano entregue pelo governo ao Supremo Tribunal Federal (STF) prevê que 2.344.373 professores, do nível básico ao superior, sejam imunizados apenas na quarta fase. Os participantes chamaram a atenção para a necessidade de colocar a educação no centro do debate do protocolo sanitário e do planejamento da vacinação.

Bacelar lembrou que, há 11 meses, os estudantes brasileiros estão sem aula. Ele afirma que a falta de planejamento coloca em risco a alfabetização e a qualidade educacional de uma geração. “Um dos primeiros setores a sofrer os efeitos da pandemia foi a educação. Desde março as aulas estão suspensas. E quando chega a vacinação, os profissionais da educação não estão entre os prioritários para que as escolas possam ser reabertas. Não podemos colocar em risco a saúde e a vida dos profissionais e da comunidade escolar”, disparou.

Segundo o presidente da CNTE, Heleno Araujo, 60% dos profissionais de educação fazem parte do grupo de risco e sofrem pressão para retornar às atividades presenciais, mas sem as plenas condições de segurança sanitária. “Querer reabrir as escolas sem todas as condições sanitárias é o reflexo de um governo que não prioriza a educação” afirmou.

O presidente do Sindicato dos Professores da Bahia (APLB), Rui Oliveira, também defendeu o retorno às aulas presenciais, mas depois que todos estiverem imunizados. “Este é um debate importante para que a sociedade entenda que não estamos nos negando a retomar as atividades. Apenas queremos garantir a saúde e segurança de todos. Professores, alunos e familiares. A APLB defende a volta às aulas presenciais, mas só depois que todos estejam imunizados” completou.

O secretário Jerônimo Rodrigues falou sobre a importância da união de todos os setores da sociedade na luta pela priorização dos profissionais da Educação na vacinação. “Esta é uma reunião estratégica em um momento delicado da pandemia. Há uma sensação muito positiva quando a gente tem um grupo de parlamentares que defende a Educação, que a gente pode confiar e que nos faz sentir mais confortados neste momento tão difícil. Temos um ministro da Educação que não apresenta nenhuma preposição, não dialoga com o setor da Educação. Precisamos fazer um movimento nacional para que a Educação também esteja no grupo de prioridade da vacina e esta é a nossa luta. Portanto, este movimento é muito apropriado, este é um momento de luta e de unidade pela Educação e pelos profissionais da Educação”.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta