As novas tecnologias aliadas à comunicação e aplicadas na educação motivam educadores e educandos. Só como exemplo, uma de nossas escolas da rede municipal de Salvador, a Escola Maria Antonieta Alfarano, em Cajazeiras, alcançou uma procura muito maior por causa de um projeto vitorioso que contempla um laptop para cada um dos mais de 200 alunos que levam para casa o equipamento.

Notamos que a família está empolgada com o computador. Pais e até mesmo os avós querem se familiarizar com o mundo virtual. Esse impulso que estamos experimentando na educação municipal deve-se aos projetos bem elaborados e foco claro no desenvolvimento do ensino-aprendizagem.

A melhoria da qualidade é meta permanente. No caso da escola citada o índice do Ideb melhorou significativamente por lá. A intenção é exatamente essa. Integrar a comunidade que participa em diversas escolas de cursos profissionalizantes oferecidos pela Secult (Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esportes e Lazer), como Telemarketing, Iniciação à Informática, etc. Estamos conseguindo agregar valor à comunidade adjacente que, em muitos casos, já conseguiu uma vaga no mercado de trabalho graças aos conhecimentos adquiridos nos cursos.

Essa semana entregamos 400 tablets – uma ação experimental iniciada em 12 escolas para conseguirmos melhorar os resultados e reforçar a implementação do Projeto de Inclusão Sociodigital. Adotamos o material também para o ensino entre as classes hospitalares beneficiando alunos internados para que eles não se distanciem da escola por muito tempo.

A ferramenta vai possibilitar a criação de uma rede de relacionamento entre professores e alunos que fazem parte do projeto e o planejamento e produção de conteúdos digitais. Ainda é pouco, sabemos disso, mas é o começo de um projeto que tem perspectiva de ampliação para as 425 escolas da rede.

Os laboratórios de Informática alcançam 200 escolas municipais. Muitas com rede wi-fi. Algumas delas estão iniciando até projetos com rádio web, uma forma de envolver ainda mais os alunos da rede pública que podem utilizar os equipamentos nas quadras, nos eventos, filmando, tirando fotos através do Projeto Tecnologias Móveis.

A ideia é formar cidadãos melhor preparados para os desafios contemporâneos através de um processo de ensino-aprendizagem mais dinâmico, interativo e proveitoso. Essas estratégias fazem parte de um programa maior que visa Educação de Qualidade para Todos.

Fonte: João Carlos Bacelar/Coluna Educação/Política Livre

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta