por João Carlos Bacelar

Vamos acreditar que o encerramento do Campeonato Baiano foi também a pá de cal na fase negativa, de vários e consecutivos resultados amargos mas com gosto de mudança. Entendemos que o passo dado na sexta-feira que reuniu mais de 6 mil pessoas na Arena Fonte Nova depois do esvaziamento na última partida tricolor foi decisivo para que a reforma não estacione em nosso mando de campo. Que também passe pelo nosso estatuto, pelas nossas perspectivas, pela vontade de quem tem o coração azul, vermelho e branco de poder respirar aliviado com os novos ventos que começam a soprar pelos lados do Fazendão.

Otimismo? Pode até ser. Mas as palavras corretas seriam esperança e trabalho empreendido por milhares de pessoas que  imaginam um futuro melhor para nosso Bahia. Vai ficar pra sempre em nossa memória que perdemos 3 na disputa de quatro BaVis , dois deles de goleada e empatamos um. Ontem conseguimos igualar o placar para que não fosse tão humilhante o final dessa tão sofrida etapa.

Algo interessante também aconteceu no último final de semana. Recebemos apoio dos torcedores de nosso maior adversário que se solidarizam com o Movimento Bahia da Torcida em busca de transparência no clube. Essa união pelo objetivo nos faz mais fortes e vai certamente ajudar nessa nova fase que extrapola os muros do Fazendão. O futebol baiano precisa de muito mais. Essa semana vamos mentalizar  pela instalação da CPI do futebol na Assembléia Legislativa. Também uma movimentação grandiosa foi direcionada para esse fim. A caixa preta do futebol precisa ser aberta e deve nos trazer muitas surpresas (desagradáveis).

Com CPI e apoio de tricolores autônomos e famosos seguimos adiante para tentar pular as barreiras impostas para impedir que tenhamos voz. Mas, temos sim! Tá na hora dos dirigentes ouvirem de onde estiverem!

Sabe quais são as palavras que sintetizam a campanha rubro-negra dita pelos jogadores ? União e foco no objetivo. O nosso conjunto destoou imensamente desse teorema. A união tricolor só aconteceu longe dos gramados e do plantel.  União e harmonia forte apenas entre os diretores   para que não fosse destituída a permanência deles a frente do clube. Como o tempo é senhor da razão…..

Já o presidente do Vitória deu a receita do bolo que acabou premiado ontem: contratações certeiras desde o início com valorização dos aspectos técnico e profissional para evitar desestabilização do conjunto. Ou seja, ervas daninhas não crescem na horta vermelha e preta. São cortadas antes de ganhar espaço.

O Bahia continua sua trajetória pelo Brasileirão no próximo final de semana contra o Criciúma em Santa Catarina, já sob o comando do novo treinador Cristóvão Borges. Enquanto isso, a torcida escreve boa parte da história que é continuar batendo na porta até que ela se abra e dê acesso às novas possibilidades, a um futuro melhor, a alegrias múltiplas nos campeonatos disputados e à revitalização do amor de sua grandiosa nação que acredita que o Esquadrão é verdadeiramente de AÇO e não vai envergar com a pressão de uns poucos resistentes às mudanças necessárias e imprescindíveis ao caminho da glória tricolor.

Vamos avante, Esquadrão!!!

  Fonte: Portalbahiacomorgulho

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta