Em meio a vários discursos e homenagens, na Câmara Federal, pelo Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quarta-feira (8), o deputado Bacelar (PTN-BA) chamou a atenção para os prejuízos que a reforma da Previdência causaria às mulheres brasileiras. “O governo diz que não há motivos para diferenciação. Alega que elas, em média, vivem mais e ocupam igualmente os postos de trabalho. Só que a proposta desconsidera a dupla, tripla jornada da mulher brasileira. Elas passam mais de cinco horas por dia trabalhando em casa, sem contar o tempo que gastam no emprego. Enquanto os homens se dedicam apenas uma hora por dia às tarefas domésticas. Portanto, é injusto exigir 49 anos de contribuição e 65 de idade para a mulher se aposentar”, protestou.

O deputado disse que a reforma representa uma sequência de erros. “Elas raramente se aposentam por tempo de contribuição. É um erro querer igualar realidades tão distintas, porque o Brasil é muito diverso e muito desigual para comparar condições de vida, moradia e regionais, entre mulheres e homens. É um erro querer acabar com as conquistas sociais da Constituição de 88”, alertou.

No final, Bacelar fez um apelo à bancada feminina. “Deputadas, não podemos aprovar o texto atual da reforma da Previdência. Quero ver quem terá a coragem de votar a favor desta violência contra a mulher. União é a palavra de ordem para o momento”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu