A decisão do governo Bolsonaro de mudar as regras para a edição dos livros didáticos que serão usados nas escolas, em 2020, foi criticada pelo deputado federal Bacelar (Podemos), reconhecido no Congresso Nacional como um dos parlamentares mais atuantes na defesa da educação de qualidade. O governo alterou o edital para a compra dos livros, que exclui a exigência de referências bibliográficas e aceita erros de revisão e impressão, além de permitir publicidade nos materiais.

Para Bacelar, a mudança representa um retrocesso e coloca em risco o conteúdo que será oferecido em sala de aula. “O Programa Nacional do Livro Didático evoluiu ao longo dos anos e ganhou o reconhecimento dos educadores, justamente porque estabeleceu critérios pedagógicos para garantir a qualidade do conteúdo. De uma hora para outra, o novo governo, que ainda não se entende, resolve mudar as regras sem ouvir ninguém, de forma autoritária, abrindo espaço até para o absurdo de aceitar erros nos livros. Essa medida precisa ser revista”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu