por João Carlos Bacelar

A semana antes de voltarmos à Fonte Nova parecia interminável. Ufa!! Ainda bem que Obina persistente e raçudo – como devem ser os atacantes – empatou com o xará de Feira de Santana e fechou a semana para nós. Mas, que sufoco, quanta chateação, quantos absurdos mais temos que tolerar nós que torcemos pelo Bahia?

Depois de passarmos o luto pelas mortes na Fonte, de ver a implosão do estádio que guardava tantas lembranças e a obra acelerar e ser concluída, pagamos os pecados na fila para comprar ingresso. A administração da Arena disse que não imaginava tanta gente…. Imagine, depois de tanta espera. A torcida apaixonada que fez fila para ver o Bahia na série C (não quero nem lembrar desse tempo) surpreendeu pela procura, segundo eles. Ora, seria cômico se não fosse trágico.

Confusão com polícia, gás lacrimogênio, bombas de efeito moral, empura-empurra, agressões. Virou notícia internacional antes mesmo da reabertura do estádio. Tudo poderia ser evitado se houvesse planejamento. Não podemos compreender quando dizem que a demanda foi além do esperado. Como, se o ingresso é para acesso ao maior clássico do Norte/Nordeste? E para uma das maiores torcidas do Brasil reencontrar seu mando de campo?

Inaceitável, que torcedores apaixonados tenham que passar por essa humilhação.

Embora persista a indignação ainda sonhamos com o domingo, 7 de abril. Data histórica para celebrar nossa volta à Fonte Nova. Até lá, vamos cruzar os dedos para que a administração se profissionalize. A Copa das Confederações vem aí, a Copa do Mundo está chegando e a torcida do Bahia é imensa. Vamos tratar de  aprender com os erros e.. rápido.

Mas voltando para as quatro linhas, o time do Bahia também precisa se organizar. Após 40 dias de treino não pode apresentar essa performance apática. É preciso mostrar que estamos buscando o caminho para levantarmos nossa taça do Baianão na Arena, precisamos também fazer bonito na série A.

Agora, é necessário corrigir os erros, acertar na marcação, atacar pelas laterais, treinar finalização, caprichar nas jogadas ensaiadas e correr pro abraço. Será que vai demorar muito para colocarmos em prática a fórmula que todos já mentalizaram??

Bora Jorginho, bota essa galera para repetir até soar como mantra!

Vamos entrar no clássico com pé direito e coração pulsando de alegria no começo e, principalmente, no final do jogo com o placar de primeiro mundo registrando que o tricolor venceu a partida de reinauguração.

Bora Bahêêa….

Fonte: Bahiacomorgulho.com.br/SITE

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta