O presidente da Comissão de Turismo, deputado Bacelar (Podemos/BA), quer que a ITA, companhia aérea do grupo Itapemirim, reacomode os passageiros em outros voos ou reembolso. A empresa anunciou, na sexta-feira (17), suspensão das atividades e já prejudicou até agora mais de 40 mil pessoas. “Estamos em véspera de Natal. Os aeroportos estão cheios. Tem gente que estava com viagem programada há mais de seis meses e precisa comprar novas passagens em cima da hora. Não podemos deixar que o viajante pague um preço alto por irresponsabilidades.” pontuou.

Bacelar também solicitou ao Ministério Público Federal que apure a situação da empresa e a autorização emitida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Em sua avaliação, um grupo que já vinha apresentando problemas trabalhistas e financeiros não deveria ter recebido o Certificado de Operações. “A Anac é responsável por fiscalizar o funcionamento das empresas aéreas. Se sabia que o grupo Itapemirim já tinha problemas, por que emitiu a autorização. Fica a dúvida que precisa ser esclarecida” completou.

O primeiro voo da empresa foi anunciado há menos de seis meses, mas os problemas do grupo Itapemirim são antigos. Atrasos de salários e benefícios de funcionários, suspensão do plano de saúde dos trabalhadores, dívidas com fornecedores, descumprimento de horários, cancelamentos de voos, atendimento criticado por clientes e envio de dados errados sobre número de passageiros para a Anac são apenas alguns deles.

Os salários dos empregados e benefícios como vale-refeição e transporte também vinham atrasando com frequência. Em dezembro, a empresa parcelou o pagamento dos trabalhadores em duas vezes. Havia queixas, também, de que verbas rescisórias não estavam sendo pagas aos demitidos. Além disso, mecânicos estariam trabalhando sem equipamentos de proteção adequados, segundo o sindicato da categoria.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta