Os profissionais de telemarketing denunciaram hoje ao presidente da Comissão de Direitos do Consumidor e Relações de Trabalho, deputado estadual eleito federal João Carlos Bacelar (PTN), as péssimas condições de trabalho a que são submetidos. As denúncias vão desde a falta do horário de descanso e de alimentação, a não fixação do piso salarial, das horas trabalhadas ou pagamento de horas extras, bem como assédio moral, stress e problemas de saúde causadas por lesões de esforço repetitivo (LER), a alta rotatividade, entre outras.A questão será tratada, segundo Bacelar, em audiência pública em data a ser definida, para a qual serão convidados representantes do Ministério Público do Trabalho, Secretarias Estaduais do Trabalho e da Saúde, INSS, Codecon, Delegacia Regional do Trabalho, sindicatos, representantes das empresas, além dos trabalhadores.

Outra questão que Bacelar deve tratar ao assumir o mandado de deputado federal é a regulamentação da profissão de Call Center. “A profissão de atendente em telemarketing ainda não é regulamentada no Brasil e parte dos abusos ocorrem porque esse trabalho ainda não existem regras fixadas acerca da profissão. Neste primeiro momento, vamos tratar das irregularidades que estão sendo denunciadas pelos trabalhadores na Assembleia Legislativa. Precisamos tratar desta e de outras questões, e levar a necessidade da regulamentação da profissão para a Câmara Federal”, defendeu Bacelar. Só na Bahia são 40 mil profissionais de telemarketing, segundo a Associação dos Trabalhadores em Call Center do Estado da Bahia (Atracall).

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




    Deixe uma resposta