A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal aprovou, nesta semana, a proposta do deputado Bacelar (Podemos-BA) que melhora a remuneração dos professores da educação básica. Pelo texto, 60% dos recursos de precatórios ( valores devidos após decisão judicial definitiva) do governo federal, no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef), serão destinados ao pagamento de um adicional salarial para os profissionais do magistério. ” Queremos que a lei seja cumprida. A regulamentação do Fundef é clara quando determina o repasse desses recursos para os professores. Os salários são baixos e o adicional é justo”, argumentou Bacelar.

Segundo o parlamentar, os precatórios, estimados em R$ 90 bilhões, deveriam ter sido repassados pela União entre 1998 e 2006, quando o Fundef foi substituído pelo atual Fundeb. Em junho do ano passado, o uso de recursos dos precatórios para o pagamento de salários e passivos trabalhistas de professores foi vetado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). “O TCU é um órgão fiscalizador e precisa cumprir o seu papel. A proibição prejudica o ensino e a valorização dos docentes, além de afrontar o objetivo constitucional de diminuir desigualdades sociais e regionais”, disse o deputado do Podemos.

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta

Fechar Menu