O deputado federal Bacelar (PTN-BA) participou nesta quarta-feira (23) da audiência pública promovida pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, para discutir a reforma do ensino médio proposta pelo governo Temer. O ministro da Educação, Mendonça Filho, ouviu questionamentos sobre a matéria, que recebeu 568 emendas e será votada por uma comissão especial formada por deputados e senadores.

Bacelar disse que a proposta não leva em conta as metas do Plano Nacional de Educação (PNE). “Propor a reforma do ensino médio deixando de lado a execução do PNE é um grave erro político e um atentado à cidadania. É dar continuidade a uma coisa que é comum no Brasil: vamos levitar sobre leis que não existem para evitar a execução de uma lei que existe. Não é por acaso que todos os níveis de governo resistem à implantação da Lei de Responsabilidade Educacional. É para fugir das responsabilidades”, afirmou.

O deputado fez uma relação entre a PEC dos gastos públicos e a reforma. “Para a manutenção e desenvolvimento do ensino, nós tivemos R$ 79 bi em 2016. Deste valor, R$ 21 bi são de despesas discricionárias. Os 18% das despesas de impostos dariam R$ 58 bi. Como a PEC corta despesas discricionárias, a educação perderia R$ 21 bi. Como melhorar as escolas e os salários dos professores? Como é que nós vamos equacionar isso, ministro?”, questionou.

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta

Fechar Menu