Milhões de crianças brasileiras são matriculadas na escola e até frequentam as aulas mas ao final do ano não conseguem atingir a meta e são reprovadas. Vão ficando pra trás no aprendizado enquanto crescem em tamanho e avançam na idade. O sentimento é de desconforto em dividir a mesma classe com alunos baixinhos e mais novos. Terminam assim contribuindo para engrossar as altas taxas de evasão escolar no país e entre famílias carentes.

Exatamente para combater a evasão e chegar à alfabetização dos alunos que não concluíram esse processo até o 5º ano do Ensino Fundamental, a Secretaria Municipal da Educação (SMED) investe recursos e esforços para ampliar a nota no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) da capital baiana e melhorar a qualidade do ensino. Medidas abrangentes e coordenadas reforçam o compromisso de que a educação de qualidade nas escolas públicas de Salvador é prioridade máxima do prefeito ACM Neto.

Resultados significativos têm sido alcançados com a opção colocada em prática desde o ano passado que inclui aulas para aceleração do processo de letramento, em busca pelo salto qualitativo na educação e na alfabetização de todos os alunos até os 6 anos de idade.

São organizadas turmas de até 10 estudantes do 3º, 4º e 5º anos para durante 1 hora trabalharem os assuntos que apresentaram dificuldades a cada unidade. Alunos diagnosticados com maior deficiência permanecem nas escolas (as que dispõem de espaços) para estudar no contraturno. Ou seja, milhares de alunos soteropolitanos passaram a contar com atenção redobrada para que sejam sanadas dúvidas, lhes cobrada maior dedicação com consequente reversão da defasagem idade-série, que tanto assusta pais e educadores.

Professores e diretores participam ativamente na identificação desses alunos para montar as turmas de regularização e concordam que já houve um avanço no boletim escolar deles.

A adoção do sistema estruturado de ensino com definição de metodologia dentro da rede municipal tem possibilitado também uma uniformidade dos procedimentos incluindo plano de aula e projeção de resultados tornando mais fácil o acompanhamento da equipe gestora e a orientação didática para as etapas seguintes.

As formas de avaliação externa são diversas, como a Prosa, a Provinha Brasil, a Prova Brasil e Ana, marcadas para acontecer periodicamente; são elas que vão gerar o Ideb, principal indicador do desenvolvimento pedagógico e curricular das escolas e dos alunos e que Salvador precisa e já trilha caminho seguro – com a colaboração de todos os profissionais envolvidos no processo – para buscar melhores colocações daqui pra frente.

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta

Fechar Menu