Deputado Bacelar

Foi realizada nesta quarta-feira (19), na Câmara dos Deputados, a segunda audiência pública da Comissão da Lei de Responsabilidade Educacional, que tem como relator o deputado federal Bacelar (PTN-BA). A punição dos gestores públicos na aplicação dos recursos destinados à educação tomou conta dos debates.

Estavam presentes, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Sérgio Luiz Kukina, a procuradora da República no Rio de Janeiro, Maria Cristina Manella Cordeiro, e o professor da Universidade Católica de Brasília (UCB), Célio da Cunha.

O deputado Bacelar chamou a atenção para o resultado do último censo escolar, que mostrou a situação caótica das instituições de ensino no país. “Mais de 50% das escolas não possuem rede de esgoto e um terço funciona sem água. Um grande número também não dispõe de energia elétrica. De quem é a responsabilidade disso?”, questionou.

A procuradora Maria Cristina disse que a punição dos gestores é importante, mas que é preciso capacitá-los para a execução dos programas do Ministério da Educação . “É fundamental que haja a penalização. Afinal, quem administra dinheiro público tem esse ônus. Mas antes de tudo, é preciso haver capacitação”, defendeu.

Para Bacelar,  a aplicação da Lei de Responsabilidade Educacional deve ter um caráter pedagógico e também punitivo. “Quando falamos em pedagogia é para evitar a judicialização excessiva, mas alguma punição tem que ser utilizada. Nós precisamos criar consensos. É uma área frágil, porque esta será uma lei que vai cobrar responsabilidades do governador, do prefeito, do secretário de Educação, dos gestores das unidades escolares e até da família”, declarou.

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta

Fechar Menu