A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados ficou lotada nesta quarta-feira (27), para os esclarecimentos do ministro da Educação, Ricardo Vélez, sobre a crise na pasta e propostas para o setor. Entre os mais críticos das ações do ministro, o deputado Bacelar (Podemos-BA) abriu a sua participação protestando contra a falta de mulheres no primeiro escalão do MEC. “As mulheres são destaque no ensino e na pesquisa. Lamento não ver o sexo feminino bem representado no MEC”, alfinetou o parlamentar.

Bacelar questionou Vélez sobre a paralisação das atividades essenciais no ministério, por causa de uma operação de investigação que está sendo chamada de “Lava Jato da Educação”. O deputado quis saber também a posição do ministro em relação à aplicação do Custo Aluno-Qualidade (CAQ), como política pública que garanta a qualidade no ensino, e à criação da Lei de Responsabilidade Educacional (LRE), com o objetivo de responsabilizar os gestores que não alcançarem as metas no setor.

O ministro respondeu superficialmente às perguntas de Bacelar, que saiu da audiência disparando. “O governo Bolsonaro está brincando com a educação brasileira. Uma briga interna paralisou o MEC, por causa de picuinhas entre quem deveria estar trabalhando pelo país. O ministro só deu respostas vazias, o que nos deixa preocupados quanto ao destino do filho do trabalhador, que merece escola pública de qualidade e um futuro de oportunidades”.

          

 

 

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta

Fechar Menu