Por Bacelar, para o Amor de Aço

Após cinco jogos sem vencer e quase dois meses sem faturar três pontos dentro de casa, o Bahia renovou o ânimo da torcida e sacudiu pra longe a poeira do empate para comemorar os 2×1 contra o tricolor são-paulino. Já deu até pra respirar porque nos afastamos um pouco mais do Z-4. Saltamos da 16ª colocação para 13ª. A terrível zona vai ficando mais distante. Ainda bem. Preto Casa Grande está animado e já começa a se credenciar para assumir o posto permanente no comando da equipe.

A bem da verdade, os jogadores já começaram a revelar entrosamento maior em campo, disciplina tática e espírito aguerrido, fatores que, aliás, devem ser intrínsecos ao bom desempenho de qualquer equipe e estávamos sentindo falta. Mas em alguns momentos, faltou perna. Ficou evidenciada que boa parte do elenco cansou, não teve preparo físico para chegar aos 90 minutos com gás e marcar mais um tento. Até houve chance.

Vale destacar a participação de Rodrigão nas duas carimbadas tabelando e construindo o caminho do gol com Régis e depois Mendoza. A torcida soltou o grito preso na garganta. Diga aí: três minutos foram suficientes para garantir a vitória. Nem deu tempo de festejar muito o primeiro e… pimba!

Aí sim, vi a alegria de ir à Fonte estampada no rosto dos tricolores de carteirinha. Há quanto tempo não vivenciávamos isso? Foram necessários só três minutinhos para abrir o placar e ampliar… Êpa, Fonte tricolor. Alegria geral!

Maior posse de bola foi mesmo do Bahia e já viramos o turno mais distante do perigo com a certeza que somos um time de chegada, ao batermos o São Paulo, exatamente o rival direto na tabela.

Pela frente, mais uma semana cheia para o “Black” – como Preto se intitula – corrigir os (muitos) passes errados, estimular a criatividade nas jogadas e melhorar a pontaria. Pedra nas chuteiras do Fazendão, mas o plantel está se esforçando, como vimos no noticiário ao longo da semana e também na área adversária. Capricha mais aê pra garantirmos três pontos em plena Arena da Baixada, contra o Atlético-PR.

Deixo aqui registrado o meu repúdio contra a atuação da Guarda Municipal quando em uma abordagem ao vereador tricolor Toinho Carolino, na Ladeira da Fonte,  mostrou despreparo e irresponsabilidade. Sem diálogo, os agentes agrediram Carolino com socos e o levaram à delegacia com ameaças de choque “teaser”.  A postura dos guardas contra um cidadão pacífico que apenas perguntava o que estava acontecendo enquanto um gari era agredido, mostra o quanto estamos expostos diariamente a respostas violentas como essa. Temos consciência que em uma multidão, muitos mostram pretensões nada serenas, mas é preciso maior preparo e orientações precisas do comando da GM para evitar cenas inadmissíveis como a que registramos ontem.

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta

Fechar Menu